RPA: conheça os benefícios e como implementá-lo na sua organização

A rápida evolução da tecnologia trouxe para o mercado ferramentas como o RPA (sigla em inglês para Automação Robótica de Processos). Desse modo, o uso de Inteligência Artificial e Machine Learning, por exemplo, proporcionou uma grande revolução tecnológica na indústria e em outras áreas de negócios.

Porém, quando falamos de RPA não tratamos apenas de processos complexos. Mesmo tarefas simples, como respostas de e-mail automáticas, fazem parte do escopo dessa tecnologia e por isso ela é tão importante para diversos negócios. Através automatização, as empresas podem ampliar sua produção e reduzir custos operacionais.

Portanto, se você deseja saber mais sobre o RPA e como ele pode contribuir para seus negócios, acompanhe o artigo!

RPA: conheça mais essa tecnologia

 

O uso de RPA se baseia no conceito de produtividade e redução de custos através da automatização de processos. Com isso, é possível reduzir ou eliminar a necessidade de intervenção humana, especialmente em tarefas repetitivas nas quais sistemas menos complexos de automatização tradicional não são capazes de atuar.

Através do uso de softwares – que podem ou não utilizar Inteligência Artificial – essas tarefas passam a ser executadas, inclusive, com maior precisão e rapidez. Como resultado, as empresas que investem nesse tipo de tecnologia experimentam um valor agregado ao negócio.

Além disso, existe a possibilidade de aproveitar os melhores colaboradores em atividades essenciais e que ainda dependem de mão de obra humana para serem realizadas de modo adequado.

Como funciona o mecanismo do RPA?

O sistema de RPA funciona por meio de um software com capacidade de “copiar” e repetir as ações do usuário. Desse modo, o sistema pode integrar e interagir em diversas atividades e processos, mas a implementação dessa ferramenta deve focar em tarefas repetitivas e em grande volume de escala.

Por conta da capacidade de adaptação e flexibilidade do RPA em situações variadas e de modo automático, essa tecnologia atua como um “robô”, sem intervenção de pessoas, e pode ser implementada na realização das seguintes atividades:

  • plataformas de atendimento ao cliente;
  • sistemas de pagamento e cobrança;
  • processamento de pedidos online;
  • atualização de cadastros de clientes e colaboradores;
  • gerenciamento de currículos no RH;
  • identificação de contas fantasma e fraudes;
  • elaboração e emissão de relatórios;
  • monitoramento de tarefas automatizadas.

Portanto, o RPA pode ser implementado em diversas áreas de negócios, seja comércio, indústria ou serviços, e em diferentes setores dentro de uma mesma empresa.

Os benefícios do RPA para o seu negócio

Entre os principais benefícios do RPA estão a redução de custos operacionais e a minimização de erros nos processos. Segundo especialistas, o retorno sobre o investimento (ROI) pode variar entre 30% e 300% apenas no primeiro ano de uso da tecnologia.

Por ser uma tecnologia flexível e escalável, o sistema RPA contribui para aumentar os níveis de segurança e confiabilidade, elevando o patamar do seu negócio.

A seguir, listamos alguns dos benefícios que o RPA pode trazer para o seu negócio:

Economia de recursos

Com a automatização robótica de processos, os custos operacionais são reduzidos, especialmente com a diminuição da necessidade de mão de obra.

Melhoria nos processos corporativos

O RPA permite adicionar ou alterar processos conforme novas necessidades forem surgindo, melhorando a operação e diminuindo o risco de falhas.

Readequação de mão de obra

A robotização possibilita a readequação dos recursos de mão de obra para que sejam dedicados a funções de maior valor. Assim, com a transferência de tarefas simples para um sistema automatizado, os colaboradores podem se concentrar nas necessidades do cliente e na resolução de questões mais complexas do negócio.

Aumento da produtividade da empresa

A partir da implementação do RPA é possível fazer mais em menos tempo. Desse modo, com menos processos manuais a chance de erro é menor, e a produtividade torna-se elevada, inclusive pela possibilidade de se expandir a força de trabalho virtual com rapidez e facilidade.

Mais qualidade nos produtos e serviços prestados

Com processos padronizados e consistentes, é possível aumentar a conformidade e, consequentemente, ter mais qualidade nos produtos ou serviços prestados.

Melhoria no atendimento ao cliente

Com a automatização, é possível tornar a jornada do cliente mais satisfatória, à medida que o atendimento ocorre com mais eficiência.

Maior capacidade de avaliação interna

O RPA registra todas as etapas e constrói um histórico que pode ser usado para avaliar os indicadores operacionais. Através de relatórios periódicos, é possível identificar problemas na gestão e corrigir possíveis falhas e gargalos produtivos.

Saiba o que é essencial para aplicar o RPA na sua empresa

Diferente do que se possa imaginar, a implementação de um RPA é bastante simples e rápida. Na maioria das plataformas, o próprio cliente pode fazer a configuração básica dos fluxos de trabalho, necessitando de conectividade com a internet, login e senha.

Contudo, para dar início à implementação, o primeiro passo é identificar quais os processos que serão automatizados, mas que necessitam de uma nuance humanizada. Afinal, o grande diferencial que esse sistema possui é a capacidade de se assemelhar à mão de obra humana.

Nesse sentido, existem inúmeras tarefas que podem agregar o RPA: desde o simples envio de e-mails automáticos até o uso de bots com funções específicas.

A partir dessa identificação, vem a escolha do fornecedor mais adequado, a partir de uma série de critérios como:

  • facilidade no upload de base de dados;
  • fluxos de trabalho com grande visibilidade;
  • possibilidade de personalização conforme as necessidades do negócio/empresa;
  • uso de CRM dos fornecedores e clientes;
  • comunicação interna facilitada;
  • possibilidades variadas de automação.

Após a escolha da empresa responsável pelo software, vêm a fase de implementação propriamente dita, seguida do gerenciamento dos dados.

É importante sempre escolher um fornecedor que ofereça treinamentos para os profissionais e equipes responsáveis, suporte de onboarding (presencial ou online) e tutoriais.

Após o início da operação, é fundamental determinar um período em que seja produzida uma quantidade de dados suficiente para gerar visibilidade e possibilitar a avaliação do funcionamento do sistema. Isso porque, com o tempo, o RPA tende a aperfeiçoar a análise dos dados a partir dos algoritmos.

Agora que você já conhece o RPA e como ele pode ser útil para seus negócios, que tal conhecer um pouco mais sobre as soluções da Nalbatech? Entre em contato conosco e veja de que forma podemos auxiliar sua empresa na área de inovação.

Saiba tudo a respeito da Manutenção Preventiva de uma forma simples!

Manutenção Preventiva. Essa é uma solução cada vez mais procurada por organizações que buscam ter o máximo desempenho com menores custos. Isso porque ela visa prevenir falhas em equipamentos, de modo com que a operação tenha continuidade e não seja necessário arcar com consertos e trocas emergenciais.

Hoje, mais do que necessário, se antecipar a problemas e manter a empresa com alta performance virou uma questão fundamental, já que o mercado espera agilidade, a concorrência é alta, os clientes são exigentes e as despesas devem ser controladas para minimizar prejuízos.

Se você chegou até aqui, provavelmente seja porque está interessado em obter esse e outros diferenciais trazidos por uma conduta proativa. Nesse caso, chegou ao lugar certo. Acompanhe o nosso artigo e saiba tudo sobre o assunto!

Conheça mais a respeito da Manutenção Preventiva

 

Segundo a NBR 5462, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a manutenção preventiva trata-se do conjunto de ações técnicas e administrativas com o objetivo de reduzir a probabilidade de falha ou a degradação do funcionamento de um item.

Na prática, os processos acontecem por meio de um planejamento de inspeções periódicas em diversos tipos de máquinas e equipamentos, sejam industriais, automotivos, hidráulicos, entre outros. Alguns resultados, nesse caso, são a conservação dos ativos, a segurança de trabalhadores, a satisfação de clientes e a economia.

A questão da manutenção em tempos da Indústria 4.0

 

A manutenção preventiva é um conceito que teve início na década de 50, entre o período da Segunda Guerra Mundial e do pós guerra, quando o setor percebeu a necessidade de garantir a confiabilidade e a disponibilidade dos ativos, mantendo a produtividade. Desde então vem sendo utilizada visando restabelecer as condições originais do equipamento, antes que falhas potenciais surjam.

Assim como inúmeros outros processos, esse passou por mudanças significativas a partir das tecnologias da Indústria 4.0. Hoje, o que se espera é realizar um número cada vez menor de atividades de manutenção, com recursos cada vez mais otimizados.

Para isso, são utilizados recursos tecnológicos como inteligência artificial e internet das coisas (IoT), os quais auxiliam na inserção do elemento futuro, possibilitando ter respostas a situações que ainda não vieram a ocorrer, mas iriam se nenhuma ação fosse realizada.

Um dos conceitos da Indústria 4.0 é a criação de um modelo virtual das máquinas e todo o sistema produtivo, de modo com que esteja controlado e possa ser operado remotamente. Isso é facilitado com o uso de sensores, os quais enviam aos softwares de comando a situação de cada equipamento. O sistema, que permite a detecção de irregularidades em tempo real, pode se basear na manutenção preventiva, manutenção corretiva e manutenção preditiva.

Manutenção corretiva x manutenção preventiva x manutenção preditiva: entenda as diferenças

 

Como citamos, a manutenção industrial é composta por três métodos, os quais são aplicados em diferentes momentos, bem como trazem resultados diversos. Para que você entenda melhor sobre cada um deles, veja do que se tratam:

  • Manutenção preventiva: visa reduzir falhas ou quedas no desempenho de máquinas por meio de um cronograma pré elaborado no qual constam inspeções periódicas;
  • Manutenção preditiva: atua na inspeção rotineira de equipamentos para identificação de anormalidades que possam causar problemas. Esse acompanhamento periódico se utiliza de dados coletados por meio de monitoração ou inspeções. As técnicas mais utilizadas são análise de vibração, ultrassom, inspeção visual e técnicas de análise não-destrutivas.
  • Manutenção corretiva: ocorre quando já existe uma falha detectada e as atividades de ocorrem de forma não programada. Como é de se imaginar, nesse caso pode haver interrupção nas atividades e custos inesperados em função das ações realizadas de forma emergencial.

Pelo que você pôde comprovar, é preciso ter um planejamento adequado de manutenções, o que inclui a manutenção preventiva, para evitar prejuízos, na mesma medida em que se obtém melhores resultados.

A importância da manutenção preventiva para a sua organização

 

É possível que você já tenha ouvido o ditado “o barato que sai caro”. Ele se aplica bem quando se trata da falta de manutenção em uma organização. Afinal, quando as inspeções são vistas como um custo e não um investimento, a empresa acaba gastando valores exorbitantes com falhas inesperadas.

Além disso, equipamentos que não são revisados periodicamente podem ter perda no desempenho sem demonstrarem, exigindo um gasto maior de energia elétrica, por exemplo.

Já quando a organização investe em manutenção preventiva, o cenário é justamente o contrário. Nesse caso, algumas vantagens são:

  • garante o aproveitamento máximo da vida útil das máquinas;
  • otimiza recursos por motivos como ter mais tempo para pesquisar fornecedores, menores custos com consertos e trocas de peças e minimização de horas extras por paradas inesperadas;
  • qualidade da operação, já que a produção é realizada no prazo e, consequentemente, os clientes ficam satisfeitos;
  • prevenção de acidentes de trabalho, os quais vão desde os mais simples até o mais graves, capazes de trazer prejuízos incalculáveis.

Com esses fatores, fica clara a importância desse tipo de manutenção para diminuir a probabilidade de falhas. Porém para que seja vantajosa e faça sentido para a empresa, precisa ser utilizada de forma estratégica, a partir de um planejamento bem estruturada e as melhores parcerias e ferramentas.

Para auxiliar as empresas a realizarem as manutenções preventivas e seus outros subtipos de forma eficiente, a Nalbatech disponibiliza o SAN Mobile, uma plataforma que auxilia as equipes a realizarem consultas, atualizações, lançamento de dados e confirmação de ordens em tempo real, 100% compatível com o SAP® módulo PM.

Isso traz automatização de processos de forma segura e simples, tudo em interfaces amigáveis, rápidas e intuitivas, para que as empresas minimizem erros e reduzam o tempo gasto com processos altamente transacionais.

Esperamos que o nosso artigo auxilie a sua organização a contar com processos de manutenção bem estruturados. Ficou interessado em conhecer as soluções da Nalbatech para automação de processos? Então entre em contato com um de nossos especialistas agora mesmo!

Dicas para convencer seu gestor da importância da manutenção industrial

No dia a dia de operações industriais, não é raro que o Gerente de Operações ou o responsável pelo chão de fábrica encontrem dificuldades em estabelecer um cronograma de manutenção industrial. A verdade é que, em muitos locais, o tema ainda é considerado como uma preocupação de menor importância.

Porém, quem entende do assunto, sabe que não é assim.

Uma boa manutenção industrial pode ser decisiva para que a empresa cumpra com seu planejamento estratégico, reduzindo custos  e potencializando a produtividade. No entanto, nem todos os gestores enxergam esses benefícios.

Assim, ao responsável pelo chão de fábrica, recai a tarefa de clarear o tema e explicar a importância de aplicar uma boa manutenção industrial em toda fábrica. E você, encontra dificuldades como essas, tão comuns no ambiente fabril brasileiro?

Neste conteúdo, vamos compartilhar algumas dicas que podem ajudá-lo a direcionar seus argumentos. Afinal, a manutenção industrial é um dos pilares das empresas que buscam um diferencial agora e no futuro, mas o que falta para você convencer seu gestor disso? Confira!

A manutenção como função estratégica

A cadeia produtiva de uma empresa não é algo simples. Trata-se de um sistema complexo, cuja função vai muito além da produção pura e simplesmente. Na verdade, o chão de fábrica cumpre um papel estratégico essencial para a empresa como um todo, sendo o núcleo daquilo que ela vende. Entre outras casos, o setor produtivo:

  • Contribui com os principais objetivos da empresa;
  • É um local que necessita intenso planejamento;
  • Possui um maquinário técnico, cujas condições influenciam em toda produção — e por consequência, nos resultados;
  • Necessita da maior eficácia e efetividade possível, pois seu funcionamento deve ser contínuo ao máximo.

Com isso, dá para entender por que a manutenção industrial é tão importante. Trata-se do processo planejado que garante essa continuidade produtiva almejada.

No entanto, você pode se perguntar: como a manutenção influencia na produção a ponto de garantir esses resultados?

  • Qualidade, pois reduz a necessidade de retrabalhos e mantém todo maquinário e equipamentos nas melhores condições.
  • Agilidade, pois torna o nível produtivo ainda mais otimizado ao reduzir as paradas de máquinas.
  • Flexibilidade, pois há diferentes conceitos que podem ser aplicados em várias situações, evitando problemas de diversas origens.
  • Economia, pois garante o máximo funcionamento do maquinário, potencializando sua vida útil e evitando gastos inesperados.

Como ter uma manutenção industrial em dia

Uma vez que seu gestor entenda a importância da manutenção industrial, é preciso que você tenha conhecimento da sua prática. Afinal, como manter a sua aplicação em dia? Não se trata apenas de observar as condições de uma máquina e decidir pelo seu conserto ou não.

Nesse ponto, é preciso considerar algumas tarefas obrigatórias e que vão facilitar seu dia a dia. Confira:

Cadastro e classificação de ativos

Seu inventário precisa de atualização constante, a cada movimentação. Dessa forma, você pode fazer um controle mais adequado do que entra e sai do seu chão de fábrica, avaliando assim as demandas diárias, semanais, mensais etc.

Um sistema de classificação serve para hierarquizar esses ativos em uma lógica de importância: quanto maior sua relevância para o chão de fábrica, mais alto na hierarquia. Logo, mais importante de ser avaliado pelos inspetores.

Criar diferentes planos de manutenção

O mundo da manutenção industrial é baseado em três conceitos bem importantes:

A manutenção preditiva, a manutenção preventiva e a manutenção corretiva.

Os três fazem parte do dia a dia de um chão de fábrica otimizado, no qual a manutenção é priorizada. Afinal, cada conceito possui sua peculiaridade e sua empresa deve estar preparada para aplicá-los em todo tipo de situação. Por isso, planejamento é essencial.

Tecnologia para auxiliar a gestão e flexibilizar o andamento das atividades

Como todos os processos corporativos de hoje, não é viável manter registros de atividades e Ordens de Serviço em planilhas ou pastas, por exemplo. Na verdade, é preciso de um sistema que integre tudo isso de forma que todos os envolvidos possam acessar informações, documentação, entre outros.

O SAP PM®, o módulo de gestão da Manutenção da Planta do ERP da SAP, é um dos mais recomendados.

Além disso, é preciso pensar na flexibilidade do trabalho exercido. Algumas plantas industriais não permitem que o especialista realize uma manutenção sem antes informar o sistema de alguma troca. Muitas vezes, em trabalhos de campo, essa comunicação é ainda mais limitada.

Por isso, um aplicativo que possibilite essa interação via smartphone, até mesmo offline, é a melhor alternativa.

Conheça os indicadores de manutenção industrial

Agora, é hora de entender o que está funcionando e o que não está em seu plano de manutenção industrial. Como realizar essa tarefa? Afinal, apenas se basear nos relatórios emitidos por seu software de gestão não basta. É preciso partir de um princípio, mas qual?

As diretrizes que você procura têm nome: indicadores de manutenção. Abaixo, alguns dos principais:

MTBF (Mean Time Between Failures) | Tempo Médio Entre Falhas

É a relação entre o tempo total em horas de uma máquina funcionando e o número de vezes em que ocorreu uma falha. Esse resultado lhe dá uma média de horas entre cada falha, indicando a sua propensão a falhas, o que pode auxiliar no seu planejamento.

MTTR (Mean Time To Repair) | Tempo Médio para Reparo

A relação entre o tempo (em minutos ou horas) de reparos realizados em uma máquina (a soma) e o número de vezes que a intervenção foi necessária. O resultado será o tempo médio de reparo necessário, o que lhe indicará quanto tempo a produção sofrerá com a parada.

Disponibilidade dos Ativos

Esse indicador diz a possibilidade de uma máquina estar disponível para uso. Ela segue uma fórmula que leva em conta os dois indicadores acima:

Disponibilidade: (MTBF / (MTBF + MTTR)) x 100

O resultado é a porcentagem de disponibilidade.

Percentual de Custo de Manutenção

Indica o custo anual em relação ao faturamento da empresa. A fórmula é semelhante à de cima, sendo:

Custo de Manutenção: (Custo total de manutenção / Faturamento bruto) x 100

O resultado representa a porcentagem do custo. A média brasileira não passa de 4%.

Custo de manutenção por ERV

Esse indicador diz respeito ao custo de manutenção por ativo. No caso, ERV significa Estimated Replace Value (ou Valor Estimado de Troca). A fórmula é conhecida como CPMR:

CPMR: (Total gasto em manutenção do ativo / Valor de compra do ativo) x 100

O resultado será uma porcentagem que indica se vale a pena manter o ativo em questão. Em geral, considera-se 2,5% como máximo. Caso o resultado passe disso, quer dizer que o ativo (máquina) já não apresenta um bom custo x benefício e pode ser considerada uma troca.

Agora que você sabe como convencer seu gestor da importância da manutenção industrial, como colocar em prática um plano de gestão e como administrá-lo, chegou a hora de colocar tudo em prática!

Para isso, conte com a ajuda da Nalbatech. A empresa é especializada na criação de soluções de tecnológicas, como o SAN Mobile. O aplicativo é compatível com o SAP PM® e auxilia na automatização de processos mobile.

Contate um de nossos especialistas agora mesmo!

 

PCM e as fases do planejamento da Manutenção: o que você precisa fazer

Planejamento e manutenção são dois conceitos complementares. O setor responsável pelo reparo de máquinas e equipamentos de uma empresa tem grande importância no desempenho das atividades corporativas.

Nesse contexto, surge o planejamento e controle de manutenção. Esse processo contribui para a estruturação da empresa frente ao funcionamento dos diversos departamentos, além de aumentar a performance e produtividade dos colaboradores.

Se você tem interesse em saber quais são as fases do PCM e como funciona esse conjunto de estratégias, continue acompanhando o artigo que preparamos para você!

O que é PCM?

O planejamento e controle da manutenção, ou simplesmente PCM, tem grande importância no gerenciamento da empresa, pois é a área focada em ter o controle de todas as manutenções que precisam ser feitas, incluindo os setores que necessitam de manutenções mais urgentes, programação de parada e assim por diante.

Dessa maneira, o papel do PCM é entender o cenário de manutenções que precisam ser realizadas, executá-las no momento devido, além de ter o controle e a supervisão de todos os processos relacionados ao assunto.

O conceito está relacionado com a engenheira de manutenção, sendo que as atividades e funções que se enquadram na área dependem também do modelo de gerenciamento adotado por cada empresa e, também, as necessidades do dia a dia.

Portanto, são aplicadas medidas estratégicas para programar manutenções e solucionar problemas em máquinas e operadores que são essenciais para os processos produtivos do negócio.

PCM: qual a sua importância?

O planejamento e controle da manutenção têm impacto significativo no desempenho da empresa. Afinal, com o uso eficiente das máquinas e operadores é possível garantir uma produção benéfica, sem falhas ou interrupções que prejudiquem as tarefas.

Por isso, a manutenção é um tema que precisa ser pensado com atenção, pois sabemos que se ela não for feita de maneira adequada o maquinário é impactado, gerando problemas maiores para a empresa.

Assim, com o objetivo de evitar consequências negativas, o PCM atua de forma direta no planejamento de ações, diminuindo os riscos e melhorando as decisões, que também serão mais acertadas.

Quais são as fases do PCM?

Para tornar seu planejamento mais eficiente é importante seguir algumas etapas. O PCM conta com atribuições que fazem toda a diferença nos resultados da empresa, sendo que é relevante levar em conta a gestão adotada e as especificidades dos processos. Conheça quais são as fases do planejamento e controle da manutenção!

Elaboração de cronograma

O cronograma é uma etapa importante para nortear suas decisões e entender melhor o fluxo de cada atividade. Compreendendo quais são as ações que precisam ser colocadas em prática, fixando prazos que sejam apropriados para o time e dentro da expectativa da empresa.

Programação de parada

Programar uma parada é um aspecto essencial para ter maior controle do planejamento e da manutenção. Inserir esse processo na rotina do negócio contribui no reparo de maquinários e em que momento é mais recomendado que essas manutenções ocorram.

Além disso, a programação ajuda na hora de comunicar os setores de produção antes de realizar ajustes, informando em qual período as paradas acontecerão. Sem ter essas informações é difícil manter a produtividade e tomar decisões que impactem o mínimo possível os diferentes processos.

Instruções de serviço para as manutenções programadas

Outra atribuição do PCM é o fornecimento de instruções para as manutenções programadas, ou seja, é necessário especificar quais serão os recursos materiais utilizados em cada reparo, com uma descrição completa das atividades que serão impactadas.

Com isso, há uma programação mais eficiente e todas as etapas são padronizadas, facilitando o trabalho.

Planejamento dos recursos para as manutenções programadas

Feito as instruções sobre como serão realizadas as manutenções, é hora de planejar os recursos materiais, como peças, ferramentas e outros itens.

Esse planejamento é fundamental para que a empresa consiga se organizar financeiramente e, além disso, ter um controle do que será importante para cada etapa, evitando problemas e a perda de produtividade.

 Acompanhamento e verificação

Após todas as fases citadas acima, é feito o acompanhamento dos processos e atividades envolvendo as manutenções. Os resultados que foram observados são considerados, levando em conta quais são os passos que ainda precisam ser aplicados.

Caso alguma falha seja identificada é importante que as medidas necessárias sejam tomadas para corrigi-la.

Instrumentação

Durante a manutenção são utilizados vários aparelhos. Logo, eles precisam ser aferidos periodicamente, sendo úteis para os reparos.

Então, se certifique de que todos os itens estão em boas condições de uso, garantindo que a manutenção seja eficiente.

Quais são os benefícios do PCM?

O PCM gera várias vantagens para a empresa, sendo que ao tirar as ações do papel você garante pontos positivos para a gestão e, ainda, potencializa a produtividade das atividades. Separamos abaixo alguns dos benefícios!

Mais produtividade

O gerenciamento adequado das manutenções afeta a produtividade em praticamente todos os setores, já que os equipamentos e as máquinas em que os reparos não são realizados podem interromper o processo de trabalho ou até mesmo dificultá-lo.

Por outro lado, contar com o planejamento e controle de manutenção mantém o volume de produção alinhado às expectativas e contribui para um ambiente de trabalho mais produtivo.

Custos reduzidos

Realizar manutenções programadas e dentro do prazo determinado diminui os riscos de custos maiores, como o investimento em máquinas e equipamentos.

Logo, o retrabalho é reduzido e os funcionários apresentam níveis de produtividade mais significativos pois há um número maior de equipamentos disponíveis e em boas condições para uso.

Segurança em processos produtivos

Promover a segurança para os funcionários é uma preocupação recorrente nas empresas. O PCM é uma das garantias para criar um ambiente seguro e produtivo aos colaboradores, independentemente do setor em que atuam.

Alguns equipamentos e máquinas podem oferecer riscos sérios à saúde do colaborador caso não estejam funcionando adequadamente. Fica claro, então, a importância de investir em manutenções planejadas.

O PCM é um conjunto de ações importantes para as empresas, com passos que ajudam a estruturar a gestão de manutenção. Como destacamos ao longo do artigo, investir nesse tipo de planejamento oferece diversos benefícios para o negócio, principalmente em relação à produtividade e segurança dos funcionários.

O que achou do conteúdo? Entre em contato conosco e saiba quais são as soluções que nossa equipe tem para você!

Manutenção Industrial: o antes e depois com o San Mobile

Em tempos de corrida pela otimização dos processos internos, os olhos dos especialistas voltam-se para as fábricas. Afinal, por onde começar essa transformação? A aplicação de conceitos como a Indústria 4.0 dão uma ideia — pois aponta para o caminho da tecnologia. No entanto, é necessário um olhar mais micro, que observa cada etapa da rotina produtiva. Com uma breve análise, é possível identificar as oportunidades no campo da Manutenção Industrial — e também as dúvidas. Então, como melhorar justamente esse processo, adequando sua aplicação com as tecnologias atuais e exigências modernas?

A resposta está no SAN Mobile, aplicativo mobile de manutenção.

Na verdade, a falta de soluções como essa sempre foram uma dor das empresas com plantas fabris e cuja manutenção industrial era uma necessidade diária.

Afinal, ano após ano, o que se viu foi uma evolução do nível tecnológico do maquinário. Cada vez mais, as máquinas se tornaram mais inteligentes e eficientes. No entanto, ainda são máquinas — e a manutenção industrial é uma necessidade para todas elas.

Segundo uma pesquisa feita por especialistas americanos, cada um dólar que uma empresa deixa de investir em manutenção industrial, pode custar o quádruplo no futuro. Ou seja, relegar uma intervenção de US$ 1 mil dólares hoje, pode causar um prejuízo de US$ 4 mil para o seu bolso em certo tempo.

Portanto, fica a dúvida: o que aconteceu com a etapa de manutenção industrial? O que a evoluiu a ponto de alinhá-la às práticas e tendências atuais da Indústria?

Afinal, que é necessário, todos sabem. Para descobrir esse cenário, relembrando como a manutenção industrial era conduzida antes do SAN Mobile e quais os impactos após sua aplicação, é só continuar a ler este artigo.
Se a sua empresa busca por soluções modernas que revolucionem seus processos de manutenção industrial, com certeza o conteúdo será de ótimo proveito.

Confira!

A Manutenção Industrial antes do SAN Mobile

 

Até alguns anos atrás, o que se via nas empresas era um descompasso entre o nível tecnológico da planta fabril, que abraçava a inovação, e a técnica de manutenção industrial.

Não que os métodos fossem ultrapassados, mas em muito, as ferramentas eram.

Um chão de fábrica é uma parte essencial de uma empresa, repleto de setores. Em uma montadora, há núcleos para cada parte de um automóvel além da linha de montagem. Em uma empresa de metalmecânica, há usinagem, solda, furação, entre outros.
A manutenção industrial como era antes, se baseava em um método de inspeção monolítico. Tome como base uma rotina de manutenção preditiva:

O operador de uma máquina notava um problema e avisava o inspetor, que então a verificava. Todas as anotações feitas em uma ficha ou algo do tipo. Após, essa ficha precisava passar para o sistema para que as devidas Ordens de Serviço fossem emitidas.

Claro que não é o caso de todas as empresas, mas é possível imaginar situações semelhantes em vários cenários, certo?

Agora, imagine: quanto tempo e recursos foram investidos para esse caso em específico? A escalada de atividades impressiona, mesmo quando falamos de um caso hipotético. Em uma planta fabril completa, o cenário é ainda mais assustador.
Apesar de andar, a manutenção industrial sempre foi conduzida em marcha lenta.

Em muito, por conta de uma burocracia de controle que, apesar de necessária, se apoiava em métodos e recursos que a inibiam de qualquer agilidade.

Foram alguns os efeitos colaterais sentidos. Em empresas de menor porte, por exemplo, o próprio papel da manutenção industrial foi colocado em xeque. Não ignorado, mas não encarado como prioridade.

Não por menos, até hoje, o prejuízo de paradas não-programadas em empresas dos Estados Unidos custa alto: até US$ 50 bilhões anuais.

Revolução: O que muda na Manutenção Industrial com o SAN Mobile?

O SAN Mobile é justamente esse passo além que as empresas necessitavam, uma forma de sentir na pele o que é a Indústria 4.0.

A solução desenvolvida pela Nalbatech se integra ao seu SAP PM, o módulo de gestão de Manutenção da Planta do ERP.

Com o SAN Mobile, como o nome sugere, as ações de manutenção industrial podem ser gerenciadas por dispositivos móveis (mesmo sem conexão à Internet).

Em questões práticas, isso significa que todo poder e agilidade de ação se concentra nas mãos de seus operadores e especialistas em manutenção. Assim, eles não dependem de tecnologias impeditivas ou ficam à mercê de processos demorados, como o lançamento de Ordens de Serviço, por exemplo.

Tudo pode ser feito, acessado e atualizado na hora, agilizando o processo de manutenção industrial a um nível nunca visto.

No contexto industrial, o SAN Mobile significa uma manutenção industrial que pode ser praticada de forma mais dinâmica, em tempo real. O aplicativo auxilia na gestão de toda manutenção industrial dentro do chão de fábrica. Entre as atividades que facilita, estão:

O objetivo do aplicativo é servir de meio para que os profissionais que estejam em campo possam realizar suas tarefas no local, em tempo real.

Com isso, você elimina a ocorrência de controles paralelos que geram dados conflitantes e desatualizados. Assim, reduz-se a quantidade de retrabalho ao mesmo tempo que você qualifica a coleta de dados, tornando a análise dessas informações ainda mais confiável.

Destaca-se, inclusive, o melhor acesso aos dados do sistema — pois o aplicativo está disponível para o SAP HANA e SAP ECC. Com uma interface simples e intuitiva, qualquer profissional consegue se encontrar no sistema e acessar notas, locais de instalação, documentos de medição, horas de atividade, ordens de serviço, equipamentos e muito mais.

Outro benefício é que o SAN Mobile possibilita customizações de maneira extremamente ágil e com baixo custo sem custo adicional. Ou seja, você pode transformá-lo em um aplicativo feito sob medida para as necessidades do seu negócio, aprimorando sua manutenção industrial sem obstáculos de desenvolvimento.

O SAN Mobile é um passo além para as empresas que buscam se aproximar da Indústria 4.0. Uma melhor manutenção industrial agiliza processos e torna sua rotina produtiva mais eficaz, assim como estende a vida útil de seu maquinário.

Quer conhecer mais sobre o aplicativo e como ele pode beneficiar a sua empresa? Entre em contato com a Nalbatech!

Utilização do SAP (Módulo PM) na manutenção preventiva

Conheça o mais novo E-book sobre a utilização do SAP na manutenção preventiva.

Clique na imagem abaixo e faça o download do E-Book.

 

Como minimizar erros e reduzir o tempo gasto com processos transacionais com o SAP

Talvez os tipos de processos mais utilizados e os mais importantes em qualquer organização sejam os processos transacionais. São eles que definem as principais atividades que uma empresa precisa executar para que ela tenha êxito em seus negócios.

 

As tarefas transacionais, embora automatizadas, são repetitivas e rotineiras, o que podem, invariavelmente, ocasionarem erros e muito tempo gasto na execução das atividades.

 

Assim, nós preparamos esse artigo para mostrar como o SAP pode auxiliar a sua empresa, tornando as tarefas que envolvem os processos transacionais muito mais ágeis. Vamos conferir?

 

Processos transacionais: o que são?

 

Os processos transacionais possuem pouca interferência humana e um grande volume de integrações entre diferentes sistemas. Geralmente, esses processos são repetitivos e têm um ciclo curto de vida, podendo rodar milhares de vezes em um curto espaço de tempo.  Podemos citar como exemplo de processos transacionais as compras eletrônicas, processamento de pagamentos e cotações automáticas.

 

Atualmente, os processos transacionais têm sido o foco de ferramentas de integração de sistemas.

 

Quais são os benefícios em automatizar os processos transacionais da sua empresa

 

A automatização de processos transacionais é essencial para as empresas que precisam de respostas rápidas, principalmente na tomada de decisões.

 

Como dito anteriormente, uma das principais características dos processos transacionais é a rotina repetitiva. A automatização desse sistema pode trazer benefícios como redução de custos, aumento da produtividade, simplificação dos processos, agilidade na tomada de decisões, acessibilidade e disponibilidade das informações.

 

Como o SAP auxilia nesses processos

 

Com o avanço da indústria 4.0, a automatização integrada de todos os processos transacionais dentro das empresas passou a ser uma tendência, e a implementação do SAP junto a esses processos pode otimizar o fluxo da informação, melhorando sua qualidade e o tempo de entrega, um cenário perfeito para que gerentes e coordenadores possam focar na tomada de decisões mais eficazes.

A plataforma SAP auxilia nos processos transacionais pois enxerga toda a jornada do cliente. O início, quando o consumidor entra em contato com a empresa, buscando informações do produto desejado e solicitando o mesmo, quando encontrado; o meio, quando o pagamento é aprovado, o produto é separado e embalado para a entrega, e o fim, quando o cliente recebe o produto.

 

Dentre os módulos SAP, o ERP continua sendo o núcleo da empresa. No entanto, esse sistema cada vez mais trabalha integrado a outras soluções, sejam on-premise, cloud ou híbridas, e por isso precisa ser mais flexível para atender as demandas do mercado, especialmente no que se refere aos processos transacionais.

 

Nesse cenário, o Módulo SAP PM, é considerado um sistema de última geração em relação aos processos transacionais de manutenção, já que ele oferece recursos para planejar e administrar todas as manutenções de maneira automatizada, facilitando a determinação de quando e onde elas vão acontecer, incluindo também os responsáveis.

 

SAN Mobile: uma ferramenta essencial para diminuir o tempo com processos altamente transacionais

 

Para que sua empresa esteja apta a competir na era digital, é necessário que sua solução de gestão fortaleça as tomadas de decisões, baseadas em dados confiáveis de uma fonte exclusiva e que proporcione o aproveitamento de análises capazes de otimizar todo o planejamento estratégico que envolvam os processos transacionais, incluindo na manutenção.

 

É fato que, na economia digital, o planejamento e a ação realizada em tempo real ajuda a empresa a se reinventar, a se conectar não apenas a dispositivos e redes comerciais, mas também a potenciais clientes, oferecendo serviços mais flexíveis, com redução de erros e tempo de atendimento.

 

O sistema SAP é uma ferramenta muito importante para qualquer empresa, pois integra várias operações comerciais e melhora a produtividade, além de auxiliar na redução de custos e na economia de tempo.

 

Assim, para automatizar os processos da manutenção de sua empresa de maneira simples em uma plataforma amigável e com design intuitivo, a solução SAN Mobile, aplicativo mobile de manutenção desenvolvido pela Nalbatech é ideal para reduzir o tempo gasto em processos transacionais.

 

Através do SAN Mobile, os colaboradores contam com um recurso poderoso para acessar e atualizar Ordens de Manutenção, informações de equipamentos e locais de instalação, por exemplo. Tudo através da palma da mão, a partir de um dispositivo móvel.

Além disso, o aplicativo controla o acesso das funcionalidades automaticamente a partir do perfil de acesso do usuário no SAP.

 

Agora que você já sabe como minimizar erros e reduzir o tempo gasto com esse tipo de processo com o SAP, que tal começar a planejar o da sua empresa? Entre em contato com a Nalbatech e saiba como podemos te ajudar!

Indústria 4.0 – O que muda na manutenção?

A tecnologia está em avanço e a cada dia o conceito de indústria 4.0 ganha mais força em todas as áreas do mercado. As três primeiras revoluções industriais permitiram a produção em massa, as linhas de montagem, a eletricidade e a tecnologia da informação. A quarta gera um impacto muito mais profundo, pois se caracteriza por um conjunto de tecnologias que faz a fusão do mundo físico, digital e biológico. Mas qual o impacto da indústria 4.0 na manutenção? Confira no artigo a seguir.

Indústria 4.0: o que é? 

Foi na Feira de Hanover, em 2011, que o termo Indústria 4.0 foi utilizado pela primeira vez. Na época, era uma forma de nomear as mudanças ocorridas nos processos industriais por meio da tecnologia e informatização. Aliás, trata-se de um conceito de indústria que engloba as principais inovações tecnológicas das áreas de automação, controle e tecnologia aplicadas aos processos da manufatura.

Em resumo, a Indústria 4.0 significa o aumento das tecnologias na indústria de transformação, com máquinas e equipamentos totalmente integrados em redes de internet. Com isso, o gerenciamento dos processos passa a ser mais simples e em tempo real, permitindo o acesso de qualquer local.

Entretanto, segundo informações da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), cerca de 43% das empresas ainda não identificam tecnologias digitais como fatores impulsionadores da indústria. Isso porque, o alto custo de implantação, a dificuldade do retorno de investimento, a estrutura e a nova cultura acabam gerando grandes desafios para a adoção destas tecnologias na manufatura.

Os princípios da indústria 4.0 

A Indústria 4.0 conta com funcionalidades que permitem coletar e analisar dados das máquinas. Com isso, os processos ficam mais ágeis e eficientes, melhorando a produção e consequentemente reduzindo custos. Entretanto, para a sua implantação é necessário conhecer e aplicar os seis princípios da indústria 4.0 que determinam os sistemas de produção inteligente. Confira!

1. Interoperabilidade 

A interoperabilidade trata da capacidade dos sistemas em se conectar com outros sistemas. Em resumo, o contato entre os colaboradores responsáveis pela produtividade e os equipamentos usados no processo se torna possível através da Internet das Coisas e um sistema de gestão, como o ERP, por exemplo. Com isso, é possível coletar dados que podem ser utilizados por uma cadeia de valor da empresa.

2. Modularidade 

Com a Indústria 4.0 é possível planejar a manufatura em módulos, ou seja, com uma produção mais centrada na personalização. Em resumo, a fabricação pode ser feita de acordo com a demanda, acoplamento e desacoplamento de módulos na produção. Isso traz muito mais flexibilidade para modificar as demandas dos equipamentos com muita facilidade. Com isso, também é possível economizar mais e melhorar a produção.

3. Descentralização 

Esse é um dos princípios da quarta revolução mais aguardado pelo mercado, pois ele será capaz de diminuir os erros e os custos. Aliás, as tecnologias envolvidas nos processos de produção de uma empresa já adaptada para a Indústria 4.0, permitem que os sistemas tenham autonomia para tomar decisões de acordo com as necessidades da manufatura. Nesse processo, as ferramentas eletrônicas sabem exatamente o que fazer por meio de análises baseadas em Machine Learning.

4. Orientação a Serviço 

Esse princípio refere-se à conexão de humanos e máquinas para a realização de determinadas tarefas. Esse conceito também visa que as aplicações usadas possam ser disponibilizadas como uma espécie de serviço. A vantagem é padronizar métodos e processos, para que as práticas sejam seguidas com mais facilidade e critério, conforme o planejamento.

5. Capacidade em tempo real

Esse princípio é fundamental, pois trata-se da capacidade de reagir aos acontecimentos da cadeia de valor em tempo real. A soma do uso de dados e um sistema de gestão, ou seja, usar a Internet das Coisas a favor da sua empresa permite controlar e analisar em tempo real tudo o que é necessário para a tomada de decisão. Além disso, torna conhecidos todas as etapas e o desenvolvimento de cada processo.

6. Virtualização 

A virtualização é um princípio que permite que as informações sejam compiladas. Para isso, é necessário ter uma equipe capacitada em análises de dados, de modo que as informações coletadas sejam um diferencial para a manufatura, gerando também competitividade no mercado.

Indústria 4.0 na manutenção: entenda a relação 

Com a chegada da Indústria 4.0 na manutenção, os processos evoluíram. Ou seja, o termo preventivo passou a ser preditivo, afinal, as novas tecnologias permitem identificar fontes de potenciais falhas a fim de tomar providências antes que elas ocorram.

As mudanças que a quarta revolução industrial trouxe têm um impacto direto nos processos e na forma que os produtos são fabricados. O impacto da Indústria 4.0 na manutenção de ativos é feita através de soluções, que possibilitam que o gerenciamento nos sistemas de produção se tornem mais simples. Assim, é possível ter uma maior capacidade de operação e planejamento.

Com isso, se torna mais simples identificar as causas dos erros e evitá-los antes mesmo que eles ocorram. A Indústria 4.0 na manutenção tem como premissa analisar os indicadores de desempenho e prever as causas das falhas e depreciação dos equipamentos. Nesse processo, as técnicas de análise de risco são bastante utilizadas.

Dados acessíveis de qualquer lugar

A dinâmica da manutenção na quarta revolução é totalmente nova e une os conceitos de manutenção preventiva e preditiva ao monitoramento inteligente. Isso tudo é integrado ao acesso online e em tempo real das informações da cadeia produtiva. Assim, o profissional consegue acessar os dados de qualquer fábrica, independentemente de onde ela esteja localizada, podendo ser até em unidades de diferentes países, por exemplo.

Essas informações podem ser importantes para uma tomada de decisão rápida e assertiva. Assim, é possível que a área da manutenção tenha cada vez mais uma estratégia aplicada aos processos, aumentando a produtividade na organização e reduzindo prejuízos por máquinas paradas.

Por exemplo, se houver uma falha iminente nos componentes de uma máquina, o profissional consegue verificar exatamente qual equipamento está com problema e a posição exata da ocorrência. Também é possível gerar gráficos por meio de um software integrado, facilitando o estudo da origem da falha e o comportamento do problema. A Indústria 4.0 na manutenção também permite que os sistemas estejam interligados proporcionando maior controle dos processos.

As soluções da Indústria 4.0 a favor da manutenção 

Já percebemos o quanto a Indústria 4.0 impacta na manutenção preditiva. Aliás, a indústria precisa ser altamente eficaz em seus processos para atender às inúmeras demandas, ou seja, precisam cumprir cronogramas rígidos de fornecimento. Qualquer falha pode interferir na cadeia produtiva.

Nesse sentido, as tecnologias trazem novos recursos para aprimorar a manutenção preditiva e torná-la mais eficiente, econômica e precisa. Mas, para isso, é necessário utilizar diferentes soluções tecnológicas, que permitem oferecer dados para suporte operacional e informativo. Dados esses que são altamente essenciais para a atuação dos gestores e equipes da manutenção.

Machine Learning 

A Indústria 4.0 na manutenção trabalha com Machine Learning atrelada à inteligência artificial e traz um conceito elementar para a indústria moderna. Aplicar essa realidade aos equipamentos é muito mais simples na atualidade.

Os recursos da tecnologia e automação permitem essa implementação com mais praticidade para os profissionais. Com o Machine Learning é possível programar e gerenciar grandes indústrias,  organizando as demandas e rotinas dos profissionais de manutenção.

Big Data 

Já falamos sobre o quanto os dados são importantes e como eles podem ser utilizados por meio da Indústria 4.0 na manutenção. Nesta era, eles são itens altamente importantes, pois permitem controlar as metodologias e sistemas de gestão de forma estratégica. Assim, o Big Data se torna indispensável na manutenção preditiva.

Através do Big Data, as informações coletadas em relação a falhas, manutenção e reparos se tornam uma ferramenta importante para fornecer um panorama da performance dos equipamentos. Além disso, com esses dados em mãos é possível substituir qualquer equipamento facilmente e até mesmo ter uma tomada de decisão rápida e certeira, caso seja necessário.

IOT (Internet das coisas) 

A Internet das Coisas está cada vez mais presente nos processos de produção industrial e é uma grande aliada da manutenção preditiva. Afinal o setor produtivo tem se transformado com a implantação de novas tecnologias, com sensores e compartilhamento de dados. Com a IOT, geralmente são aplicadas três frentes da tecnologia na indústria, como computação orientada por sensor, análise industrial e aplicação de máquinas inteligentes.

Dados que antigamente eram inacessíveis, passam a fazer parte do dia a dia do planejamento industrial. Com isso, é possível criar novas fontes de receita e explorar as capacidades das frentes implementadas com a Indústria 4.0 na manutenção. Além disso, qualquer falha é identificada rapidamente e comunicada às equipes responsáveis, permitindo uma ação antecipada.

E você, gostou de saber mais como a Indústria 4.0 está impactando positivamente na manutenção? Saiba também que a Nalbetech pode levar a sua empresa a um nível elevado nesse sentido, trazendo as melhores soluções tecnológicas. Deseja conhecer mais a respeito? Entre em contato conosco.

 

 

Manutenção como função estratégica: conheça como funciona

Qualidade, redução de custos e eficiência são as principais metas das empresas de qualquer setor na era da indústria 4.0 em que estamos vivendo. A manutenção como função estratégica tem um papel fundamental, pois garante a disponibilidade dos equipamentos e recursos da empresa. Aliás, trata-se de um forte aliado nos sistemas de gestão atual.

 

Existem tantos processos e planilhas que são utilizados pelos profissionais de manutenção, que eles acabam se perdendo e têm dificuldades em entender as características dos equipamentos da empresa. E isso atrasa o processo preventivo, resultando apenas em uma manutenção corretiva, o que por sua vez causa prejuízos ao negócio.

 

Ter a manutenção como função estratégica é benéfico ao negócio e garante muito mais qualidade, economia e retorno nos processos.  Confira a seguir como traçar estratégias e quais os benefícios para sua empresa.

 

Como traçar estratégias de manutenção na sua empresa

 

Para usar a manutenção como função estratégica na sua organização, você precisa ter um bom planejamento. Somente dessa forma é possível ter profissionais habilitados para otimizar o uso dos equipamentos sem risco, apresentando apenas soluções. A gestão estratégica é a única responsável por definir onde, quando e porque aplicar cada tipo de manutenção.

 

Com isso, é possível garantir maior disponibilidade dos equipamentos e consumir o mínimo possível de recursos. Além disso, a estratégia de manutenção permite que o setor identifique gargalos operacionais, melhorando também o desempenho das máquinas. Nesse sentido, cinco pilares devem servir de pauta para o planejamento: custos, flexibilidade, eficiência, qualidade e confiabilidade.

Os principais objetivos da manutenção como função estratégica são:

  • Fazer um diagnóstico relacionado aos aspectos como serviços, processos, competitividade, vulnerabilidade e qualidade dos produtos;
  • Implementar projetos que modifiquem e otimizem processos;
  • Acompanhar e monitorar a efetividade das ações e das etapas de implementação.

Com ela é possível também estabelecer diretrizes para estratégias de manutenção dos equipamentos instalados na empresa. Por outro lado, permite sistematizar a manutenção das máquinas de acordo com a importância na produção e riscos que uma possível falha causaria ao negócio.

 

Várias áreas devem ser envolvidas nas decisões que irão traçar a estratégia de manutenção, como por exemplo, estoque, recursos humanos, logística e produção. Afinal, estes serão os setores afetados com as ações. Existem muitas metodologias que podem ser utilizadas pelo mercado. A seguir, falaremos sobre uma delas: o Planejamento e Controle da Manutenção (PCM).

 

PCM e as fases do planejamento

 

O PCM é uma metodologia de serviço que garante o gerenciamento de dados, a busca por melhorias e o bom planejamento dos processos dentro de uma empresa. Aliás, estes são os pilares que garantem o sucesso de um negócio.

 

Essa metodologia é o que prevê a execução da manutenção do início ao fim, garantindo que a gestão estratégica seja aplicada com todos os processos e recursos. Isso garante o funcionamento dos ativos e o aprimoramento da operação. Aliás, trata-se de uma extensão do departamento de manutenção.

Atribuições do PCM

 

Existem muitas atribuições para o PCM que são de fundamental importância para os resultados da manutenção. Elas variam de acordo com o modelo adotado por cada empresa. Entretanto, veremos quais são as principais utilizadas no planejamento da estratégia de manutenção.

  • Criação do cronograma: é o cronograma que vai orientar os trabalhos e garantir o fluxo das atividades. Assim, é necessário ter cuidado para não sobrecarregar a equipe, determinando prazos não alcançáveis por todos;
  • Programação de parada: a ação serve para manter o bom estado dos equipamentos e reparar danos e outros riscos. Com o PCM é possível ter as informações necessárias para programar o momento exato da parada;
  • Instrução de serviço: tem o intuito de descrever as atividades e recursos que serão importantes para cada tipo de intervenção;
  • Planejamento de recursos: é necessário fazer também o planejamento de recursos para aquisição de materiais como peças, componentes e até contratação de mão de obra para executar a manutenção;
  • Acompanhamento: todos os processos devem ser analisados e comparados com os resultados obtidos, pois é fundamental rever as ações caso algo não esteja saindo conforme o planejado;
  • Instrumentação: em alguns casos, existem muito equipamentos que precisam ser aferidos com uma certa periodicidade e o PCM faz o planejamento para isso ocorra dentro do cronograma.

Os benefícios da manutenção como função estratégica

 

Existem muitos benefícios de usar a manutenção como função estratégica. Uma delas é a segurança, pois equipamentos que estão com a manutenção em dia tendem a ter menos acidentes. Além disso, alcançar a melhoria contínua, assegurar a operação e controle dos processos produtivos na empresa também são benefícios. Confira mais algumas vantagens de usar a estratégia na sua empresa.

Aumento da qualidade

 

A manutenção desempenha um papel fundamental na linha de produção e qualidade dos serviços. Afinal, isso depende do funcionamento constante dos equipamentos. Entretanto, somente é possível alcançar os resultados com mais manutenções preventivas e menos corretivas e isso só é possível com um PCM bem planejado e implementado.

 

Aumento da produção

 

O planejamento de manutenção permite que os problemas mais comuns sejam levantados, possibilitado que seja desenvolvido um plano de ações para resolvê-los o quanto antes. Desse modo, o cronograma das linhas de produção pode ser seguido com fidelidade, reduzindo os imprevistos com casos de manutenção não programada. Além disso, também é possível provisionar recursos para serviços futuros.

 

Segurança

 

Como já citamos anteriormente, trabalhando com a manutenção como função estratégica é possível também manter todos em segurança. Aliás, o índice de acidentes é algo que preocupa a indústria no mundo inteiro. Geralmente, eles são causados por falhas mecânicas ou operacionais que podem ser evitados com um planejamento de manutenção eficiente.

 

Economia

 

Com certeza a redução de custos é um dos impactos mais significantes da gestão estratégica da manutenção. A economia com retrabalhos é enorme. Sem contar que a produtividade dos funcionários também aumenta, já que eles perdem menos tempo com a parada dos equipamentos durante a manutenção.

 

Indicadores de manutenção

 

Outro benefício da manutenção como função estratégica é o monitoramento de KPIs, os Indicadores de Performance da Manutenção. Eles auxiliam na qualidade da manutenção em geral e melhoram o desempenho da produção. Esses dados são importantes pois trazem informações sobre as causas dos reparos em categorias separadas por ciclo de vida do equipamento, facilitando a identificação de onde concentrar os esforços para elevar a confiabilidade.

 

Agora que você já conhece todos os benefícios e os passos para planejar uma estratégia de manutenção, que tal começar a implementar na sua empresa? Entre em contato conosco.

 

 

Os 5 benefícios em se tornar uma indústria Paperless

Bem-vindo à Indústria 4.0, nome dado à crescente combinação de plataformas e práticas tradicionais de fabricação com a mais recente tecnologia inteligente.

Atualmente, não há dúvida de que a tecnologia está desempenhando um papel significativo em nossas vidas cotidianas, e, por conseguinte, a cultura cada vez mais conectada em que vivemos também está impactando nas indústrias.

Esse cenário se concentra principalmente no uso de implantações de M2M (Machine to Machine) e Internet das Coisas (IoT) em larga escala para fornecer mais recursos de automação, comunicação e monitoramento aprimorados.

Também podemos falar de máquinas inteligentes que podem analisar e diagnosticar problemas sem a necessidade de intervenção humana.

A Indústria 4.0 também é marcada pela digitalização, na qual a transição do papel para o digital e o online é realidade. Essa transformação digital traz o benefício de um mundo mais sustentável, fazendo as empresas economizarem e prosperarem cada vez mais.

Por isso, o conceito de Paperless está se tornando tão presente atualmente. Para ajudá-lo a entender melhor sobre o conceito, preparamos esse artigo completo sobre o tema. Confira!

Indústria Paperless: o que é?

O Paperless cresceu durante os últimos anos, já que a inserção de forma manual de dados em planilhas ou em arquivos físicos se tornou cada vez mais perigosa, devido a reiteradas falhas de imprecisão.

Por isso, há de fato um reconhecimento da indústria nos benefícios da tecnologia para esse fim. Uma solução digital torna a manufatura mais assertiva, rápida e flexível em seus processos internos.

Sendo assim, a indústria Paperless, nada mais é do que uma escolha inteligente e econômica de várias empresas em abolir o papel no chão de fábrica e deixar a tecnologia trabalhar a seu favor.  

Além disso, essa decisão resulta em melhor índice de qualidade, efetividade em inovação e atualização rápida de procedimentos do negócio.

Os benefícios de se tornar uma indústria Paperless

Com o desenvolvimento tecnológico, empresas de todos os setores estão se atualizando para novas opções do mercado a fim de garantir um maior controle de documentos, dados, métricas e facilidades. Tudo isso, por incrível que pareça, pode ser iniciado pela transformação dos processos físicos (papel) para uma solução digital. Sendo assim, conheça 5 dos inúmeros benefícios em se tonar uma indústria paperless.

1.     Redução dos custos

Imagine que, 10.000 folhas de papel usadas por cada funcionário da empresa custam mais de R$ 370,00. Agora, multiplique isso por todas as pessoas no seu local de trabalho e aumente o custo com o uso de impressoras, copiadoras, toners, aparelhos de fax e outros dispositivos que podem ser praticamente eliminados na indústria Paperless.

Os números são um pouco assustadores. Em seguida, adicione o custo de armários e pessoas para mantê-los. Por isso, a indústria Paperless estima que todo esse desperdício em papel e consequentemente em dinheiro pode ser evitado com o conteúdo de dez mil folhas em um dispositivo que cabe em sua mão, por exemplo.

2.     Mais flexibilidade e rapidez

A rápida análise de dados referente a um produto ou serviço prestado resulta em uma resolução do problema de maneira satisfatória ao cliente.

Isso porque processos mais céleres e objetivos eliminam procedimentos dispendiosos e confusos. Tudo isso faz parte da indústria Paperless, uma era mais precisa e ágil.

3.     Alta Performance

Esse é o benefício mais atraente da indústria Paperless. Os documentos eletrônicos estão instantânea e simultaneamente disponíveis para todos que precisam deles.

Isso significa menos transferências, menos tempo perdido em trânsito, tempo de espera reduzido e menos risco de perda de informações. Tornar-se digital também oferece o potencial de repensar os fluxos de trabalho para economizar ainda mais tempo, bem como melhorar o trabalho em equipe, pois várias pessoas podem trabalhar em documentos simultaneamente.

4.     Acesso mais rápido à informação

Os funcionários de empresas com uso intensivo de papel muitas vezes levam um longo período procurando documentos, já que boa parte deles são arquivados incorretamente ou simplesmente perdidos.

E a perda de tempo de trabalho não leva em consideração os muitos custos leves relacionados, como atrasos no processamento e frustração do cliente, por exemplo.

Compare a facilidade de uma pesquisa no Google com a tarefa de pesquisar arquivos extensos para encontrar informações. Essa é a diferença que o processamento digital faz.

5.     Redução de riscos e segurança

Esse pode parecer um benefício estranho a ser mencionado, considerando a frequência dos ciberataques recentes, mas os documentos eletrônicos são mais seguros que os impressos.

Inclusivamente, os registros digitais podem se tornar ilegíveis por meio de criptografia. Eles também têm a capacidade de serem protegidos contra impressão, cópia e compartilhamento. Através de uma solução digital, os controles de acesso são capazes de especificar os privilégios de exibição para um bom nível de granularidade.

As trilhas de auditoria revelam quem acessou e quando cada documento especificamente. Por outro lado, os documentos impressos não contam com tanta segurança assim, já que podem ser facilmente copiados.

Os desafios em eliminar os papeis nas fábricas

Mesmo com todos os benefícios aparentes e demais não citados na indústria Paperless, é um fato que várias fábricas ainda têm dificuldade em eliminar o papel de seu processo diário.

Decerto não é uma missão de fácil implementação. Realizar essa transição é um processo que pode levar algum tempo, principalmente para empresas mais antigas que estão habituadas e alicerçadas no consumo indiscriminado de papel.

Porém, a mudança é nitidamente o caminho para o crescimento e avanço no mercado. Sabendo disso, há maneiras de realizar esse processo de forma inteligente e prática, focando unicamente em sua empresa, bem como seu negócio.

A Nalbatech pode ajudar sua empresa a se tornar Paperless de forma que a tecnologia seja a ponte para todos os procedimentos e processos que envolvem o seu ramo de negócios.

A Nalbatech também acredita que a transição para o chão de fábrica sem papel pode ser realizada de forma prática e eficiente, usando tudo o que a tecnologia pode oferecer.

E você, deseja saber como? Basta agendar uma reunião.